quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Prazo para aeroporto de São Lourenço termina em 14/07/2017

Aeroporto Municipal Comandante Luiz Carlos de Oliveira

Um dos maiores desafios do Governo Célia Cavalcanti tem dia para ser concretizado: 14/07/2017. Trata-se da elaboração e apresentação do Plano Básico de Zona de Proteção do Aeródromo de São Lourenço (SNLO) Comandante Luiz Carlos de Oliveira. Faltando pouco mais de cinco meses para o prazo se encerrar, a Prefeitura de São Lourenço se prepara para lançar edital para fazer o PBZPA do Aeroporto Municipal Comandante Luiz Carlos de Oliveira, o único do Brasil com nome de um oficial da Marinha do Brasil. O Capitão de Mar e Guerra (posto equivalente a coronel no Exército Brasileiro e na FAB) Luiz Carlos como era mais conhecido foi piloto de Sea King (maior helicóptero em operação no Brasil substituído em 2012 pelos modernos Sea Hawk), Comandante da Flotilha do Amazonas, Comandante da Base Aeronaval de São Pedro da Aldeia e ainda esteve comissionado no Porta-Aviões Minas Gerais como Chefe de Operações da então Nau Capitânia brasileira, entre outras funções durante sua vida militar. Ainda vivo, viu de perto a chegada do Porta Aviões São Paulo e seu comissionamento à Marinha do Brasil. Esse porta-aviões francês, chamado Foch na Marinha Francesa foi palco do filme "Maré vermelha" e por diversas vezes citado em outros filmes como "Atrás das Linhas Inimigas", curiosamente os dois com o ator norte-americano Gene Hackman.
No ano passado, o Aeródromo Luiz Carlos de Oliveira se viu no meio de um fogo cruzado que só foi resolvido no último dia do NOTAM que cancelava as operações no local. O meio encontrado não foi dos melhores, mas serviu para ganhar tempo. Até o dia 14/07/2017.
O Brasil possui 714 aeródromos civis públicos. Desses aeródromos civis públicos, 44 são aeroportos (nacionais ou internacionais), dos quais 32 são internacionais. O Brasil também possui 29 aeródromos exclusivamente militares. Um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) foi firmado entre o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e a Prefeitura Municipal de São Lourenço.
O espaço aéreo ao redor de um aeroporto não é um lugar qualquer. É lá que todos os dias máquinas voadoras mais pesadas que o ar, sobem e descem trazendo consigo centenas de vidas humanas. Um espaço aéreo que não se restringe à beira da pista de pouso e decolagem. Para aterrissar ou decolar um avião, por exemplo, o piloto precisa efetuar complexos procedimentos de navegação aérea ainda a quilômetros de distância do aeroporto.
Assim, manobras de voo para pouso e decolagem abrangem uma região bem mais ampla do que se imagina. Abarcam, além de todo o complexo aeroportuário, grande porção do espaço aéreo vizinho, por onde circulam, residem e moram milhares de pessoas.
Para garantir a segurança dessas milhares de vidas nos arredores dos aeroportos, bem como dos passageiros nas operações de pouso e decolagem, apartando-os de obstáculos e riscos desnecessários, a legislação aérea brasileira prevê um instrumento de suma importância: o Plano Básico de Zona de Proteção de Aeródromo.
O Plano Básico de Zona de Proteção de Aeródromo (PBZPA) estabelece exatamente esta área no espaço aéreo exclusiva para o voo das aeronaves, restringindo, por exemplo, a construção de edifícios em alturas que possam colocar em risco seus ocupantes ou impactar na segurança dos voos. Por meio da observação destes planos, é possível visualizar em um mapa tridimensional sobre o aeroporto que área é essa e quais são os limites observados para o distanciamento e as alturas das edificações na redondeza.
É de suma importância que administradores de aeroportos, prefeituras, órgãos de construção civil, dentre outras organizações, conheçam as Zonas de Proteção de Aeródromos referentes às suas localidades de atuação, de modo a garantir a segurança, viabilidade de seus projetos de construção civil – inclusive precavendo-se das punições previstas em Lei – e, sobretudo, de toda a população que reside, trabalha e transita pelas vizinhanças dos aeroportos.
Pelas conversas mantidas com alguns especialistas, o Plano Básico de Zona de Proteção de Aeródromo (PBZPA) de São Lourenço deverá ter uma circunferência de 2,5 km, tendo como ponto base, o centro da pista do aeroporto de São Lourenço. O governo municipal deve ter uma atenção especial nesta fase, pois o Aeroporto Municipal Comandante Luiz Carlos de Oliveira está operando com 1030 metros de pista. O cumprimento oficial da pista é de 1300 metros. A pista foi reduzida em razão da fiação da CEMIG ao lado da via Ramon. Para facilitar o entendimento aqueles 14 postes pintados de branco e vermelho ao longo da rodovia municipal. Se a fiação passar a ser subterrânea, a pista volta aos 1300 metros originais. Por isso deve-se aproveitar o momento para readequar a situação. Se ficar como está, os 2,5 km de circunferência alcançam um número bem maior de residências. Voltar aos 1300 metros originais muda o centro da circunferência e impacta bem menos as construções ao redor do aeroporto. Fica a dica!

Gabarito de um Plano Básico de Zona de Proteção de Aeródromo, neste caso o aeroporto Santos Dumont








0 comentários:

Postar um comentário