Balneário

São Lourenço - MG

Trem das Águas

São Lourenço - MG

Vista Parque das Águas

São Lourenço - MG

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Tempo médio de votação do eleitor em 2014 será de 1 minuto e 14 segundos


Nestas eleições gerais, os eleitores devem levar, em média, pouco menos de 1 minuto e 14 segundos para votar na urna eletrônica. A estimativa é baseada no pleito de 2010 e considera o tempo que o eleitor se identificou perante o mesário e se dirigiu à urna até o instante em que confirmou o último voto, para presidente da República.
Há quatro anos, os eleitores tiveram de escolher um candidato a mais do que em 2014. Votou-se para eleger dois senadores ou 2/3 das vagas, totalizando 54 senadores. Neste ano, vota-se apenas para escolher 1/3 das vagas, num total de 27 senadores. No próximo dia 5 de outubro, os brasileiros votarão para deputado estadual ou distrital, deputado federal, senador, governador e presidente da República.
Eleições 2010 - O período de votação do eleitor na cabine nas eleições de 2010 foi de 1 minuto e 8 segundos. O tempo total de 1 minuto e 14 segundos foi referente ao momento em que o eleitor se identificou (pela biometria ou pelo método tradicional), seguiu até a urna para votar e finalizou o procedimento com a confirmação do seu voto.
Em 2010, São Paulo, apesar de ser o estado mais populoso do Brasil, registrou o tempo médio de votação mais rápido, com 1 minuto e 5 segundos. Em contrapartida, os eleitores do estado do Maranhão levaram 1 minuto e 31 segundos para escolher seus candidatos na urna, o maior tempo médio registrado no país à época.
Cola - Para facilitar o procedimento no dia da votação, a Justiça Eleitoral recomenda que os eleitores levem o número de seus candidatos anotados em um papel. A Justiça Eleitoral disponibiliza um documento que o eleitor pode imprimir e levar no dia da eleição: a cola eleitoral.



segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Plantonistas esperam receber nesta terça-feira


Esta foi a carta divulgada pelos plantonistas dando o ultimato ao Hospital de São Lourenço

Os médicos que atuam no Pronto-Socorro do Hospital de São Lourenço esperam receber seus salários atrasados desde o mês de julho nesta terça-feira (29/09). Com a confirmação da prefeitura de São Lourenço que repassou 422 mil reais para o Hospital, a expectativa dos médicos é que recebam amanhã do Hospital.
Médicos plantonistas confirmam que só estão recebendo casos de urgência/emergência. E tal situação permanecerá até o pagamento dos salários atrasados dos plantonistas. O Hospital de São Lourenço não informou aos médicos até às 19 horas que houve o depósito de 422 mil reais por parte da prefeitura.
Com o Pronto Socorro do Hospital atendendo somente casos de urgência/emergência as Unidades Básicas de Saúde estão em capacidade máxima principalmente nos casos de pediatria.
Nós tivemos acesso à carta dos médicos entregue à diretoria do hospital, Câmara Municipal, prefeitura e Ministério Público. Os médicos foram claros na carta sobre a situação que enfrentavam e que a paralisação no dia 27 de setembro iria ocorrer se não houvesse o pagamento da dívida do Hspital. Na carta, os médicos em agosto informavam que a prefeitura estava em dia com repasse para com Pronto-Socorro.
Somente após a confirmação do pagamento aos médicos nesta terça-feira é que haverá novas informações sobre quais procedimentos serão adotados pela equipe de médicos do Pronto Socorro. O corpo de enfermagem, segundo informações, está com o pagamento em dia. A carta dos médicos em agosto confirma que a prefeitura está em dia com os repasses. 

Nota de Pesar e Decreto pelo falecimento do Helinho da Eubiose

 O prefeito Zé Neto emitiu Nota de Pesar e decretou luto oficial de três dias pelo falecimento do Sr. Hélio Jefferson de Souza Filho.
 Nota de pesar

Como representante da municipalidade, externo profundo pesar pelo falecimento do Sr. Hélio Jefferson de Souza Filho, assessor da presidência da Sociedade Brasileira de Eubiose (SBE). A sua família, assim como a SBE, desde sua fundação, confundem suas histórias com a história da própria cidade de São Lourenço.
Neto de duas tradicionais famílias da cidade, Helinho, que foi funcionário da Prefeitura Municipal, a exemplo de seus pais e avós, prestou relevantes serviços à comunidade. Seus avós paternos, Prof. Henrique e D. Helena, atuaram em trabalhos relevantes como a Apae e a antiga escola Rosa de Miriam, que contribuiu para a formação de centenas de jovens de nossa terra. No bairro Carioca, o templo e a sede social sempre estiveram integrados em todas as atividades, em especial na educação e na cultura. Seus avós maternos, Sr. Henrique Ensá e D. Glória, muitos serviços prestaram a São Lourenço, tanto no Rotary Club quanto em outras entidades beneficentes.
Nesse momento de tristeza, juntando-nos aos inúmeros amigos, enviamos aos familiares nossos sentimentos e nossa solidariedade nesse momento difícil. Que Deus, em sua infinita bondade, possa consolá-los e confortá-los.

São Lourenço, 29 de setembro de 2014.
José Sacido Barcia Neto
Prefeito Municipal



Hospital recebeu quase meio milhão nesta segunda-feira

Portaria do Pronto Socorro do Hospital

O Hospital da Fundação Casa de Caridade de São Lourenço recebeu, nessa segunda-feira (29), um montante de R$ 422.000,00. O valor é resultado de R$ 322.000,00 repassados, em adiantamento, pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, e R$ 100.000,00 repassados pela prefeitura, resultante de recursos devolvidos pela Câmara dos Vereadores. Os repasses tinham sido acertados pelo Secretário Municipal de Saúde, Mauro Guimarães Junqueira, e pelo presidente da Câmara, vereador Kall, no final de semana, em reunião para tratar da paralisação do Pronto-Socorro. O valor repassado é suficiente para realizar o pagamento dos salários atrasados dos médicos plantonistas e dos que trabalham em regime de  sobreaviso.
De acordo com o prefeito Zé Neto, que reafirmou que a prefeitura está rigorosamente em dia com o compromisso que foi assumido com o Hospital, essa ação rápida da prefeitura e da Câmara dos Vereadores, foi para resolver o impasse entre o hospital e os médicos que estavam com os salários atrasados. O prefeito disse ainda, que os repasses anunciados nos últimos dias estão confirmados e, com isso, espera que o hospital resolva o problema e passe a cumprir integralmente e efetivamente o contrato de prestação de serviços firmado com a prefeitura. “A população, que depende de atendimento de urgência e emergência, não pode sofrer as consequências, no pronto-socorro, de problemas financeiros e administrativas do hospital, que não está conseguindo pagar em dia os salários dos médicos”, declarou o prefeito Zé Neto.



domingo, 28 de setembro de 2014

Prefeito Zé Neto fala sobre o hospital de São Lourenço

Prefeito esclarece que o hospital é contratado para atender Pronto Socorro

Pela primeira vez o prefeito Zé Neto fala sobre a situação do Hospital de São Lourenço. Mesmo no domingo de manhã, o prefeito atendeu nossa solicitação de entrevista para falar sobre o assunto que está deixando uma região, com 280 mil pessoas, extremamente preocupada.
A dúvida que todos tem foi sanada pelo prefeito Zé Neto logo de estalo: O Pronto Socorro é do Hospital ou da prefeitura? O prefeito confirmou que o Pronto Socorro é da prefeitura de São Lourenço e que a prefeitura paga para que ela preste o necessário atendimento à população.
Zé Neto confirmou a informação dada pelo blog São Lourenço News ontem: A prefeitura de São Lourenço está rigorosamente em dia com o que foi firmado com o Hospital da Fundação Casa de Caridade de São Lourenço. Por isso não havia razão para a paralisação dos médicos plantonistas do Pronto Socorro. E isso ficou acordado na sexta-feira dia 26/09 quando às 21 horas houve uma reunião no Hospital. Os médicos participantes queriam uma garantia pessoal do prefeito o que segundo ele foi dada na mesa de reunião.
Porém não foi isso que se viu na abertura do turno do plantão de sábado às sete horas da manhã. O Pronto Socorro estava com a faixa onde informava que os médicos lutam por melhores condições de trabalho.
Durante a entrevista o prefeito informou que existe um grave problema dentro do hospital e este é o real motivo da paralisação. Os médicos das especialidades de ortopedia, obstetrícia, pediatria, cardiologia e cirurgia geral são de responsabilidade do hospital. Pois eles não estão ali para atender o Pronto Socorro e sim o paciente que necessitar dos cuidados de algum dos especialistas citados e os pacientes particulares do hospital. O risco que os médicos do pronto socorro correram nestes últimos meses foram absurdos: Eles estavam sem retaguarda das especialidades básicas do pronto-socorro e se não fosse suas habilidades e conhecimentos médicos de emergência muita coisa ruim poderia ter acontecido. E o hospital, por sua vez quer que a prefeitura de São Lourenço pague os médicos especialistas de sobreaviso, o que não condiz com a situação, pois estes profissionais são sobreaviso do hospital e não do pronto-socorro. 
Feita a colocação pelo o prefeito Zé Neto, ele falou que estará notificando o Hospital da Fundação Casa de Caridade de São Lourenço nesta segunda-feira. Zé Neto mostrou-se insatisfeito com as condições do Pronto-Socorro que tinha um cachorro na sala de triagem e com a higiene no banheiro feminino.
Zé Neto informou que a partir desta segunda-feira (29/09) todas as Unidades Básicas de Saúde espalhadas pelos bairros da cidade estarão com médicos para consultas dentre as quais a pediatria que causa grande aflição aos pais. O Pronto Socorro do Hospital só está recebendo urgência e emergência. Sobre uma possível discussão com o provedor do Hospital Dr. Gabriel Dias Pereira, o prefeito Zé Neto foi lacônico: "Não estou satisfeito com o que ocorreu", finalizou.  
Urgência e Emergência
VOCÊ SABIA QUE, EMBORA SEJAM MUITAS VEZES USADOS COMO SINÔNIMOS, OS TERMOS URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NÃO SIGNIFICAM A MESMA COISA?
Emergência é todo caso em que há ameaça iminente à vida, sofrimento intenso ou risco de lesão permanente, havendo necessidade de tratamento médico imediato. Alguns exemplos de emergências são a parada cardiorrespiratória, hemorragias volumosas e infartos que podem levar a danos irreversíveis e até ao óbito.
Urgência é uma situação que requer assistência rápida, no menor tempo possível, a fim de evitar complicações e sofrimento.  São exemplos de urgência: dores abdominais agudas e cólicas renais.
A avaliação sobre o que é emergência e o que é urgência é feita no momento da triagem médica, quando se avalia o quadro, os potenciais riscos, a dor e o sofrimento do paciente. Nos Pronto-Atendimentos e Pronto-Socorro da Unimed-BH essa classificação é feita com o apoio do Protocolo de Manchester, um processo dinâmico de identificação dos clientes que necessitam de tratamento imediato. Ele permite identificar e priorizar os quadros mais graves, atendendo-os primeiro. Quando mais grave for a situação do paciente, mais rapidamente ele será atendido, independente da ordem de chegada. Quando se trata de urgência e, principalmente, de emergência, tempo é vida. O Protocolo de Manchester trabalha com seis situações:
EMERGÊNCIA - Paciente precisa de atendimento imediato, pois existe risco de morte.
MUITO URGENTE - Paciente precisa de atendimento rápido.
URGENTE - Paciente necessita de atendimento, mas ele não é considerado de emergência e pode aguardar o atendimento dos casos mais graves.
POUCO URGENTE - É o caso menos grave, de pacientes que precisam de atendimento médico, mas poderiam ser assistidos no consultório.
NÃO URGENTE - É o caso de menor complexidade e sem ligação com problemas recentes. Preferencialmente, deve ser acompanhado no consultório médico.
 AGUARDE CHAMADA - Indica que a classificação de risco não está sendo realizada e deve-se aguardar a chamada do profissional de saúde.
Curiosamente, no dia de ontem (27/09) não houve nenhum deslocamento de Unidades de Resgate do Corpo de Bombeiros de São Lourenço, cuja ordem é levar o paciente para o Pronto Socorro do Hospital de São Lourenço. Tal fato não acontecia há quatro anos. Milagre de São Cosme e São Damião. 

sábado, 27 de setembro de 2014

Hospital fecha Pronto-Socorro

Hospital de São Lourenço: Pronto Socorro fechado logo na manhã deste sábado 

Uma crise sem precedentes tomou conta do Hospital de São Lourenço na manhã de hoje assim que houve a troca de plantão. Médicos e enfermeiros que deveriam assumir o plantão das sete horas até às 19 horas não assumiram suas funções e assim o pronto-socorro teve suas portas fechadas.
A Polícia Militar através do 57º BPM esteve na porta do pronto socorro e registrou diversas ocorrências envolvendo pacientes de São Lourenço, Soledade de Minas e Carmo de Minas. Uma senhora de 83 anos, identificada por Dirce, foi levada com a cabeça cortada de São Lourenço para o Hospital de Carmo de Minas. Perdeu quase um litro de sangue, teve a cabeça costurada em Carmo de Minas e foi liberada em seguida para sua residência. 
O assunto no hospital é grave e vem se arrastando desde o ano passado. Um médico do corpo clínico chegou a ser repreendido publicamente quando o mesmo se indignou com o caminho que a administração estava tomando. Os médicos do pronto socorro que tem frações de segundos para tomar uma decisão com um paciente em estado grave nas suas mãos tem alguns meses que não possuem suporte de médicos cirurgiões, obstetras e ortopedistas.
Segundo médicos que não quiseram se identificar a reunião para que se evitasse chegar a esta situação tomou a madrugada inteira de hoje. Foram feitas diversas reuniões para se evitar a paralisação do Pronto Socorro. O motivo do fechamento do pronto socorro é a falta de pagamento dos médicos que dão sobreaviso no pronto socorro e os que atendem os pacientes assim que entram na unidade de urgência e emergência.
O Secretário Municipal de Saúde Mauro Guimarães declarou que mais 200 mil reias serão repassados ao Hospital: "Cabe a eles (médicos) tomarem sua decisão. Sabemos e compreendemos o atraso de salários que será resolvido nos próximos dias com os recursos que foram repassados e publicados. Uma semana, dez dias tudo estará resolvido e cabe um pouco de prudência neste momento. O impasse é a falta de pagamento dos médicos do pronto socorro, da cirurgia e de várias áreas. Mas a prefeitura está em dia com seus pagamentos ao hospital", garantiu Mauro Guimarães.
Os bombeiros do 3º Pelotão com sede em São Lourenço por orientação de seu comandante Tenente Márcio está deslocando todo e qualquer paciente para o Hospital de São Lourenço. Mas a sorte é tão grande que até o fechamento da matéria nenhuma urgência e emergência foi atendida pelos bombeiros. A sala de atendimento do Pronto Socorro está um caos: Cachorro deitado na sala de triagem aos pacientes e uma pilha de papel higiênico usado no banheiro feminino com o rolo limpo colocado no chão.
Os vereadores Chopinho, Evaldo Ambrósio e Ricardo de Mattos e o presidente da Câmara de Soledade vereador Ditinho, estiveram no hospital. O prefeito convocou o diretor do hospital Gabriel Dias Pereira e segundo informações de quem participou da reunião o tom do encontro foi de beligerância explícita.
Informações que chegam agora e que ainda são desencontradas afirmam que o Pronto Socorro está aberto e só atende casos de urgência e emergência.
O hospital de São Lourenço emitiu nota sobre o caso agora:

NOTA DE ESCLARECIMENTO À POPULAÇÃO SOBRE O PRONTO SOCORRO DO HOSPITAL SÃO LOURENÇO
Após reuniões mantidas na manhã deste sábado (dia 27 de setembro) entre representantes da Diretoria do Hospital São Lourenço, da Prefeitura Municipal de São Lourenço e dos médicos plantonistas do Pronto Socorro (PS), informamos que, até a próxima 2ª feira (dia 29 de setembro), o PS do Hospital irá restringir os atendimentos - limitando-se aos casos, de fato, caracterizados como urgência/emergência. Para tal finalidade, serão mantidos um médico plantonista e uma equipe de enfermagem.
Para não haver interrupção dos atendimentos de urgência/emergência à população de São Lourenço e região a partir da semana que vem, a Secretaria Municipal de Saúde de São Lourenço (em documento assinado pelo secretário municipal de Saúde, Mauro Guimarães Junqueira) se comprometeu a repassar ao Hospital São Lourenço, na próxima 4ª feira (dia 1º de outubro), o valor de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais), caso o Hospital não tenha recebido, até a citada data (dia 1º), recursos já autorizados junto à Secretaria de Saúde de Minas Gerais.
Somado a isso, o presidente da Câmara Municipal de São Lourenço, vereador Luiz Cláudio Siqueira, comprometeu-se a devolver, à Prefeitura Municipal de São Lourenço, o valor de R$ 150.000,00 (cento e cinquenta mil reais), referentes a sobras de recursos daquela Casa Legislativa - e, posteriormente, tal valor será, também, integralmente repassado ao Hospital São Lourenço.
Com tal montante, ou seja, R$ 350.000,00 (trezentos e cinquenta mil reais), o Hospital São Lourenço terá, então, condições de quitar os pagamentos em atraso dos médicos plantonistas do Pronto Socorro e dos sobreavisos médicos relacionados ao PS - permitindo, assim, a continuidade dos atendimentos no Pronto Socorro.
A Diretoria
HOSPITAL SÃO LOURENÇO  

Como pode se observar é um absurdo a situação que São Lourenço vive com o Hospital. Isso não é possível mais continuar. E se a câmara não tivesse dinheiro como ficaria tal situação? Um hospital deste tamanho que atende 280 mil pessoas na região promover uma lambança desta em pleno final de semana faltando uma semana para a eleição nos passa a impressão da conotação política. De tudo isso que vimos hoje, a única coisa que temos certeza é que os médicos, enfermeiros e funcionários precisam receber. E que eles são as maiores vítimas de um sistema fechado, sem acesso, restrito que merece uma investigação por uma força tarefa da promotoria pública estadual e federal. Do jeito que está não pode mais continuar. Para nossa tristeza este clima de caos é não é só em São Lourenço... É em toda microrregião atendida pelo Hospital de São Lourenço.
Veja mais fotos:

 Policial militar registra BO contra o Hospital realizado por uma cidadã

 Sargento Ramiro, vereadores Ditinho (Soledade), Evaldo e Chopinho em frente ao hospital

 O cartaz fixado na porta do PS

 De um lado um banheiro feminino podre e de outro na sala de triagem um cachorro dorme tranquilamente

Vereador Evaldo acompanha o secretário de Saúde Mauro Guimarães



terça-feira, 9 de setembro de 2014

Mata da Fazenda Sharp pega fogo em São Lourenço

Capivara assustada se prepara para descer o córrego

Considerado um verdadeiro santuário ecológico em plena área central da cidade, a fazenda Sharp que outrora abrigou a Casa da Cultura de São Lourenço, ardeu em chamas desde a manhã de hoje (09/09). O local que possui bichos inclusive não catalogados recebeu um duro golpe do ser humano, pois com certeza o incêndio foi criminoso.
Bombeiros e Polícia Militar do Meio Ambiente tiveram muita dificuldade para combater o incêndio e salvar os animais. Devido a dificuldade de acesso, o combate ao incêndio florestal foi muito complicado: A Fazenda Sharp, pela sua extensão, faz divisa com o Parque II, Vale dos Pinheiros e bairro São Lourenço Velho. A área queimada tem o tamanho de oito campos de futebol.
Pessoas paravam na rua de acesso a Vale dos Pinheiros e ficavam chocadas com a cena. O vereador Nei da Saúde, o dentista Lucinho e o empresário Jarbas pararam no local e acompanharam uma capivara que não sabia o que fazer vendo as chamas se aproximarem. Era como se esperasse a chegada de mais algum animal da espécie: E era. Ao chegar uma segunda capivara, as duas adentraram o córrego e desceram sentido o ribeirão São Lourenço.
Sala de Bombeiros informou que o incêndio florestal foi detectado de manhã e plenamente combatido por guarnições BM. Às 15 horas, novo chamado para a Sala de Operações e novo deslocamento para a Fazenda Sharp. Mas a topografia do local, que apesar de passar uma falsa idéia que é plano, é difícil e cheia de água em vários pontos o que torna farta a receita para os animais que se abrigam por ali e que muitas vezes são vistos pelos moradores no local. Foi um dia duro para a ecologia em São Lourenço.  

 Capivara com a chegada da companheira mergulha no córrego

 A área devastada pelo incêndio florestal criminoso

 Colunas de fumaça, pelo vento, causaram problemas aos moradores do Vale dos Pinheiros

Árvores queimadas em suas bases e prestes a virem ao chão

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Magistério P1 boicota desfile de sete de setembro

O TG 04-024 abre o desfile com seu comandante Tenente Ferreira à frente

Os professores da classe P1 (ensino fundamental) - responsável pela educação de crianças das séries iniciais até à sexta-série no município de São Lourenço deram seu grito de independência na avenida Dom Pedro II, durante o desfile de sete de setembro.
Segundo o que foi observado no desfile das escolas municipais 80% dos professores P1 não desfilaram e nem acompanharam seus alunos na avenida neste domingo cívico. O motivo é o constante atraso do governo municipal, através da sua Secretaria Municipal de Educação, em não enviar para a Câmara a Lei que autoriza o aumento aos quais os professores do FUNDEB têm direito desde o ano de 2011.
A prefeitura de São Lourenço para variar complicou o que seria um simples dever de casa que poderia ser concluído pelo aluno sem ajuda dos pais: Era só cumprir o que dizia o Supremo Tribunal Federal (STF) e pagar o teto estabelecido. A prefeitura de São Lourenço resolveu fazer um estudo para ver a viabilidade do pagamento do aumento o que é um absurdo e aproveitando-se ainda da vaidade de alguns professores que querem ser líderes de movimento conseguiu prorrogar até o momento o não pagamento real do salário aprovado em 2011 pelo STF. O setor de educação do município de São Lourenço questionou a jornada de trabalho, cuja lei fala "até 40 horas" para pagamento sobre o tempo determinado, numa jogada maquinada, sem precedentes. E desde o início deste ano os professores tem uma reunião por semana em suas escolas que teve o aumento de uma hora e meia na duração das mesmas. E não houve um pingo de aumento nos pagamentos dos professores que recebem pelo FUNDEB.
Informações extraoficiais confirmam que sexta-feira entrou o projeto com a tão sonhada lei do magistério. Vereadores que preferem não se identificar confirmam que o aumento para 140 funcionários do FUNDEB não ultrapassa 140 reais e que os supervisores escolares que atuam e recebem pelo FUNDEB terão um aumento de 1000 reais. Este cargo não tem mais que 12 profissionais concursados.
O presidente da Câmara Municipal Kall e o vice-presidente João Bosco garantiram no desfile que tal desproporcionalidade não será aceita e que haverá emenda no projeto ou até mesmo sua retirada.
O problema é que fazem as coisas entre quatro paredes, com pessoas com claros interesses neste aumento surreal e depois jogam todos no fogo. Quem fez o projeto? Quem estipulou os aumentos? Como um projeto deste passa pelas Secretarias de Educação, Planejamento e chega ao prefeito para ser assinado com valores absurdos e que beiram a inconsequência profissional para com uma escola municipal. Este é o verdadeiro e legítimo caso de supervisora em cargo de confiança arrumando a sua "caminha" para quando sair do cargo ter um salário de 2.500 reais.
O prefeito Zé Neto garante que tem mais de um milhão de reais guardados para o pagamento dos atrasados devidos aos professores desde 2011. Como sempre ele foi mal orientado e agora terá que pagar esta fortuna. Se fizesse como seu colega, prefeito Émerson de Soledade entraria em acordo com o magistério e pagaria apenas o novo teto com os professores abrindo mão dos atrasados. Depois desta lambança da educação que deveria ter todo mundo exonerado pela falta de experiência e mais uma dos muitos fatos da série "impossível de explicar", era o melhor a ser feito. Ou pelo menos entregar os cargos. Seria muito mais confortável para o prefeito que está cansado de ver tanta lambança e pelo seu jeito "gentleman" ainda mantém alguns que na minha época de prefeitura não serviriam nem para mensageiros.
A pressão está na Câmara Municipal. E se prepare: A guerra começa hoje. Ontem teve desfile, mas este foi o menor dos detalhes. E para concluir: Os professores que não foram ao desfile receberam ameaça de que terão dois dias descontados do salário. E ameaça da própria secretária de educação. 

 Mesmo doente, prefeito Zé Neto e nossa sempre exuberante Primeira Dama D. Cristiane em mais um desfile no seu mandato

 Tenente Coronel Valério presente no palanque das autoridades

Vovó Ruth sempre nos desfiles