quinta-feira, 10 de maio de 2012

Agradecer sempre é bom e faço isso agora

Numa brincadeira minha no início da Semana da Saúde da Polícia Militar que ocorre na 14ª Cia Ind PM, me dirigi até as enfermeiras do 7º Período do curso de Enfermagem Padrão da Faculdade São Lourenço para medir a pressão. Não sentia nada e naquela de "fazer graça" estiquei o braço e fui aferir a tal da pressão. O susto foi enorme e prontamente o Tenente Médico da PMMG, Dr. Otávio medicou-me retabelecendo a pressão para níveis aceitáveis.
Preocupado (quem não fica), no dia seguinte antes da caminhada no parque das águas fui lá na lá sede da 14ª Cia Ind PM medir a pressão de novo. E para minha surpresa, um reloginho suíço: 18x10 como no dia anterior.
Imediatamente segui para o  PS do Hospital de São Lourenço onde fui atendido pelo Dr. Chiquinho e pelo excelente corpo de enfermagem. A pressão alta demorou a ceder e fui aconselhado a procurar um médico. Como o meu ex-companheiro de casa, Natan de Oliveira, teve uma melhora surpreendente para seu caso de pneumonia, resolvi procurar o Dr. Leonardo Godoi, que se puxou 50% do que é seu pai na medicina, podemos dizer que o "menino", no bom sentido é fera!
E assim o fiz. Procurei o Dr. Leonardo Godoy que fez toda a avaliação necessária , passou-me os remédios e solicitou os exames para uma melhor avaliação deste corpo másculo e sarado. Saí de sua consulta com a pressão 17x10, alta como sempre e comprei os remédios passados por ele e iniciei o tratamento. À noite fui medir a pressão e o primeiro bom resultado: Ela estava em 13x8. Nesta manhã (10/05), depois da caminhada fui medir a pressão e ele estava em 14x9. Mas a condição física e mental em melhores condições quando do início da semana e refeito do susto que havia tomado.
Gostaria neste momento de agradecer a todos que participaram deste diagnóstico que me deixou preocupado. Ao Tenente Médico Dr. Otávio da PMMG que foi uma pessoa brilhante e parece que Deus o colocou ali naquele momento para conversar com a gente. Às alunas do 7º Período do Curso de Enfermagem Padrão da Faculdade São Lourenço que pela atenção prestada nos mostra uma safra de excelentes profissionais que está chegando para dar o alento necessário a qualquer paciente.
Abrir um parentese para o Pronto Socorro do Hospital de São Lourenço: Em meu nome e de minha família agradeço a cada uma das enfermeiras e enfermeiros que me deram a atenção necessária. Ao Dr. Chiquinho, que às vezes não compreeendemos o seu jeito de ser, mas é uma pessoa humana e para o qual eu falo mil vezes muito obrigado pelo carinho, compreensão, preocupação e dedicação no meu caso hipertensivo.
E neste final, agradecer ao Dr. Leonardo Godoy, menino novo, mas que mostra a que veio. Que antes de examinar, tocar e ver o paciente, conversa com ele e tenta entendê-lo. E falar para o médico Leonardo Godoy que sua atenção para com o Natan de Oliveira despertou-me sobre seu jeito de fazer medicina. Um médico tão novo e aqui em São Lourenço pronto para fazer história como seu pai Dr. Dirceu e tantos outros de uma nova safra que só nos faz ter tranquilidade de procurá-los quando os sintomas aparecem. Obrigado Dr. Leonardo e tantos outros que me ajudaram neste momento difícil em que reconhecemos ter a tal da hipertensão.
Encerro essa matéria apenas com um lembrete: Não custa nada. Entre numa farmácia e peça para verificar a pressão. São dois minutos apenas. Que podem significar anos a mais em sua vida. Lembrando que eu não sentia nada quando fui medir a minha pressão. Faz bem previnir e sua família agradece!
Dicas importantes contra a hipertensão - Controlar a hipertensão com remédios é rotina na vida de 1/4 dos brasileiros. A doença, que sobrecarrega o coração, é crônica e pode causar sérios problemas para visão, rins e cérebro, além de ser a causadora do infarto do miocárdio. Mas pequenas atitudes podem evitar o quadro ou ajudar no controle dele.

"Os maus hábitos à mesa e o sedentarismo colaboram para que os casos de hipertensão aumentem. Muitos pacientes vivem com a doença e não sabem, porque ela não traz sintomas no início", afirma José Kawazoe Lazzoli, especialista em cardiologia e presidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBME).

Para tratar essa condição, em muitos casos os medicamentos são essenciais. Mas a mudança no comportamento também transforma sua saúde. Abaixo, o cardiologista indica uma série de hábitos que, diluídos no dia a dia, ajudam você a viver de maneira mais saudável sem depender da farmácia.

1. Verifique a pressão arterial mensalmente
De acordo com o especialista, mesmo quem não sofre com a doença precisa ficar atento e medir a pressão ao menos uma vez por ano. "Cerca de 25% da população adulta é composta por hipertensos. Mas a maioria deles nem desconfia disso e ignora os cuidados, podendo sofrer com problemas mais sérios no futuro", diz o médico. Mas não vale medir a pressão de qualquer jeito:

- Repouse 15 minutos antes, em um lugar tranquilo

- Caso tenha fumado, aguarde 30 minutos

- Não fale durante o procedimento

- Permaneça deitado ou sentado durante o processo

- Esvazie a bexiga

- Após exercícios físicos, aguarde 30 minutos

- E não tome café 20 minutos antes da medição

2. Evite o excesso de peso
A grande quantidade de gordura corporal também afeta o aumento da pressão arterial. Acabar com o excesso de peso é uma ótima sugestão para quem não deseja encarar riscos. "É como se o coração fosse obrigado a aumentar a força para bombear o sangue em direção aos outros órgãos. Quando o peso diminui, muitas vezes, também reduzimos a dose dos medicamentos", afirma o cardiologista.

3. Mantenha uma alimentação saudável
Há uma gama de alimentos que podem desencadear ou agravar a doença. "O excesso de sal e de gorduras saturadas, assim como a ingestão de gorduras trans são amigos da hipertensão. Evitá-los é fundamental para manter a doença longe e ou para controlá-la", ressalta o médico.

4. Reduza o consumo de bebidas alcoólicas
De acordo com o especialista, consumir bebidas alcoólicas de forma moderada não é prejudicial para a pressão arterial, mas exagerar na dose pode causar estragos. "O consumo excessivo de álcool compromete todo o organismo, inclusive a pressão arterial", diz.

5. Acalme os nervos
De forma isolada, o estresse não é capaz de causar a hipertensão, mas quando combinado com outros fatores de risco pode agravar o quadro. "Buscando alternativas para viver de maneira mais tranquila, o coração tende a trabalhar melhor e as doses dos medicamentos podem até diminuir", diz o cardiologista.

6. Abaixo a fumaça
O cigarro deve ser mantido apagado - e bem longe - se o desejo é permanecer distante dos riscos da hipertensão. O fumo é um dos principais fatores de risco para doença arterial coronariana. As substâncias tóxicas do cigarro provocam o enrijecimento das artérias, fato que compromete a passagem de fluxo sanguíneo e faz a pressão subir", afirma o cardiologista.

7. Não tome medicamentos sem prescrição médica
Nada de se automedicar e correr riscos. Os remédios de hipertensão devem ser prescritos após uma série de exames. "Cada pessoa apresenta um nível diferente de elevação da pressão arterial, por isso é importante ressaltar que o uso indevido desses medicamentos pode contribuir até para a piora do quadro. O remédio que funciona para uma amiga, certamente não funcionará para você", alerta o especialista.

8. Hora de mexer o corpo
Pessoas sedentárias têm cinco vezes mais chance de desenvolver hipertensão arterial do que indivíduos fisicamente ativos. "A prática regular de exercícios ajuda no controle dos níveis da pressão arterial, porque melhora o condicionamento físico do coração, fazendo com que ele não fique sobrecarregado", diz.
Alem disso, a prática regular de atividades provoca um efeito anti-hipertensivo por ajudar a queimar os quilos extras. "Não basta perder peso, é necessário reduzir essa massa gorda", explica. "A atividade física facilita a circulação sanguínea, melhora a oxigenação e automaticamente colabora para reduzir a pressão alta.   

0 comentários:

Postar um comentário